O primeiro clique!

Bom, se você já leu um pouco a respeito da fotografia e já adquiriu seu equipamento verá que não é um bicho de sete cabeças pra começar a fotografar. Mesmo sem entender direito ainda como funciona tudo sua câmera, seja ela uma câmera compacta ou uma DSLR a mesma deve possuir o modo “Automático”, geralmente simbolizado por um quadrado verde no seletor de modos de fotografia ou no menu digital interno da câmera. Este é ou deve ser um modo usado por muito pouco tempo, pois a câmera faz todo o julgamento sobre como uma imagem deve ser fotografada, sobrando pra você apenas clicar, e isso não é ser um fotógrafo não é mesmo? Mas serve pra você ter as primeiras experiências, ver as primeiras imagens, como sua câmera trabalha, etc.

Quando você sair deste “modo automático” é que a coisa fica boa. Aí você se responsabilizará por alguns ajustes que tornarão suas imagens mais personalizadas, definirá cada vez mais o seu estilo e terá a oportunidade de exercitar sua criatividade.

Basicamente (e eu diria até completamente) a fotografia é o equilíbrio (ou o desequilíbrio) entre quatro coisas: Velocidade do Disparo, Abertura do Diafrágma, Sensibilidade do ISO e a Luz. Em qualquer imagem que seja você encontrará estes quatro componentes trabalhando em conjunto para formar a imagem. Vamos entender cada um deles agora.

ISO

É como se fosse o filme fotográfico antigamente. É a sensibilidade do sersor digital na sua câmera. Quando maior o valor do iso (ISO 100, 200, 400, 800, 1600…) mais luz o sensor será capaz de captar. Em contrapartida sua imagem também apresentará um ruído maior. Ruido é um tipo de sujeira (como se fossem os grãos dos filmes antigamente) que é inserida para completar a imagem em áreas que faltam a luz. Em programas de edição de imagem é possível remover este ruído significativamente ou até completamente, porém, perde-se nitidez, algo muito importante para uma bela imagem.

Velocidade do Disparo

É o tempo permitido para a luz atingir o sensor e sensibilizá-lo. A maioria das câmeras possuem esta velocidade ajustável entre 30 segundos até 1/4000 segundos de exposição. Quanto maior a velocidade mais nítida e congelada fica a imagem, porém, exige-se muita luz ou ISO elevado em algumas situações. E quanto menor a velocidade maior a possibilidade de captar pouca luz, ao preço de conseguir tremores e riscos luminosos na imagem. Faz-se então a necessidade de alguns acessórios como tripés, monopés e flashes. Mas a velocidade baixa é utilizada em muitas técnicas de fotografia e quando bem utilizada produz efeitos fantásticos como o Panning e o Light Painting.

Abertura do Diafrágma

A abertura do diafrágma é determinada pela lente que você está utilizando e é simbolizado pela letra “f”. Lentes mais baratas geralmente possuem o valor “f” elevado, o que significa uma abertura menor, portanto, se a abertura é menor a quantidade de luz que atravessa a lente para atingir o sensor é menor. Também interfere na profundidade de campo (DOF – Depth Of Field) que é o embassamento da área fora do foco, tanto atrás quanto à frente. Cada tipo de fotografia exige uma determinada abertura para ser bem feita, portanto, ter uma lente que não possui uma grande abertura pode significar fotos escuras, ruins, dependendo da situação em que você fotografa, como eventos noturnos, shows ou imagens que requerem uma velocidade muito grande de disparo em condições de pouca luz.

Luz

É a grande responsável por tudo acontecer. Nós fotografamos, registramos a luz. Se não há luz, não há fotografia. Todas as características da luz irão interferir na composição e registro de uma imagem, seja pela sua temperatura (quente ou fria), seja pela sua posição ou sua intensidade (sol, nublado, noite). A luz é uma grande responsável por determinar o tipo de equipamento que você deve ter, como lentes, tripés, flashes, câmera e uma outra gama de acessórios necessários para fazer justamente o controle da luz. Saber como a luz se comporta, sua física, suas características, é saber o que pode ou não ser feito em uma determinada situação e isso certamente determinará o seu sucesso na fotografia.

Portanto, tudo que você tem que fazer é balancear a configuração entre ISO, velocidade e abertura, tendo como referencia a luz que você possui em determinado ambiente ou utilizando equipamentos de iluminação para definir o seu set fotográfico. Alguns exemplos:

Dia, sol forte, muita luz = ISO 100, velocidade 1/500 e abertura em f10 (valor “f” maior, abertura menor)

Dia nublado, luz difusa = ISO 200, velocidad 1/250 e abertura f5.6

À noite, pouca luz = ISO 400, velocidade 1/125 e abertura f2.8

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s