Dos 2 aos 25 anos: a progressão de um artista. | Tatudobem?

Então você comprou uma câmera e agora é fotógrafo?

Um artista (hoje, um artista), Marc Allante, guardou seus desenhos durante quase toda sua vida, desde quando era apenas um bebê. Hoje, observando todos os desenhos em uma ordem cronológica é possível observar as mudanças, o amadurecimento na arte, a progressão e a formação do “artista” nele mesmo.

Eu quis escrever sobre este tema assim que vi este trabalho de Marc Allante, pois é um exemplo excelente do que se espera de um profissional da fotografia, ou um artista.

Queria começar dizendo que NÃO! Não será do dia pra noite que você se tornará um fotógrafo. E NÃO! Não é sua câmera ou seus equipamentos que atestará suas habilidades também.

Assim como um lápis é um lápis, tanto para uma criança na pré escola quanto para um cartunista, um pintor ou um artísta que o utilize. A grande questão não é “qual” é o instrumento a ser utilizado, mas “o que” se pode fazer com ele. Esta sempre foi a problemática e sempre será. É claro que para se conseguir determinados efeitos ou características na sua obra você precisará de uma instumentação específica. Mas seja sincero com você mesmo agora e responda: Você já fez tudo que era possível de ser feito com o que já tem em mãos? Esta resposta é a resposta que muitos não querem ouvir, pois sabem que não fizeram praticamente nada com a instrumentação que tem em mãos.

Então, busca-se a salvação na tecnologia, adquirindo equipamentos de ponta, mais precisos, mais velozes, mais práticos, e saem por ai distribuindo exemplos que, na verdade, qualquer criança na pré escola, com o mesmo equipamento, faria. Ou seja, o mérito fica completamente por conta do aparato tecnológico, das ferramentas utilizadas e não da pessoa, do SER fotógrafo.

Isso pode dar a impressão de resolver alguns problemas práticos e de dar aquele UP no marketing… mas não. É muito curto o tempo em que você consegue ter como suporte seus equipamentos, pois rapidamente eles se tornarão obsoletos e outros que comprarem equipamentos melhores tomarão a frente no mercado disputado pela tecnologia e não pela arte, pelo profissionalismo.

Procure aqui no blog nos arquivos sobre a história da fotografia e encontrará muitas, mas muuuitas fotos perfeitas, retratos que hoje, com o equipamento moderno que você tem não conseguiria reproduzir. E naquela época utilizava-se de toda uma ciência para tornar uma chapa sensível à luz e revelá-la afim de poder ver a imagem que havia se formado. Os testes eram muito mais difíceis de serem feitos e a precisão era incompreensivelmente precária, com disparos comumentes feitos na casa dos segundos e não de suas frações. E eram nítidas, eram balanceadas e bonitas.

Assim como neste exemplo de Marc Allante, na fotografia ou em qualquer outro tipo de profissão ou arte acontece de forma semelhante. Leva-se tempo, é difícil e não se baseia na ferramenta, pois se trata da construção de um SER, de um profissional ou artísta que não sabe apenas como utilizar suas ferramentas, mas sabe o que fazer come elas, o que é beeem diferente.

Fiquem na paz e vejam o trabalho de Marc Allante no link logo abaixo.

http://alexm.com.br/2013/05/13/dos-2-aos-25-anos-a-progressao-de-um-artista/

Anúncios

Um comentário sobre “Dos 2 aos 25 anos: a progressão de um artista. | Tatudobem?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s