1 – Abertura

Agora você terá uma sequência de 3 páginas muito importantes. Nelas estarão as informações básicas sobre as 3 características fundamentais de funcionamento do equipamento que lhe permitirá fazer qualquer tipo de imagem corretamente, desde que ajuste bem os valores de acordo com as necessidades que a situação pedir. Vamos começar falando sobre a Abertura, depois sobre a Velocidade e, finalizando, o ISO.

Abertura

A Abertura do diafrágma se encontra na lente e não no corpo da câmera. Trabalha de modo semelhante a nossa pupila que se contrai e expande de acordo com a luminosidade do ambiente para que tenhamos uma visão mais adequada. Da mesma forma a Abertura, na lente, proporciona o mesmo efeito, controlando a quantidade de luz que passa através da lente para atingir o sensor.

Mas não é este o único aspecto que ela trabalha. A Abertura também é responsável por ajudar a controlar a Profundidade de Campo que veremos a seguir na página 6.

Em todas as lentes há uma informação sobre sua Distância Focal, ou seja, o(s) ângulo(s) de visão que aquela lente proporciona. E seguindo esta informação vem outra, dizendo o(s) valor(s) da Abertura trabalhada em seus limites mínimos e máximos. Ex:

Lente Fixa: 100mm – f1:2

Lente Zoom: 100-200mm – f1:2-4

Cuidado! Isto quer dizer que… lá vem a tal da Matemática!!! Mas matemática é a melhor coisa do mundo, não é mesmo? ………… (silêncio). Mas é tranquilo. É uma matemática básica e de fácil entendimento.

Quando dizemos que uma lente possui abertura f2.8, por exemplo, estamos dizendo que ela possui sua abertura máxima tendo a Distância Focal (f) dividida por 2,8, ou seja, se estivermos falando de uma lente de 100mm seria 100/2.8, o que resultaria em uma abertura física, máxima, de 35,7mm (aproximadamente) de diâmetro. Se fosse uma lente 50mm f1.8, por exemplo, seria 50/1.8, que resultaria em uma abertura física, máxima, de 27,8mm (aproximadamente) de diâmetro.

“OBS: Por isso as teles com grandes aberturas são lentes maiores em seu diâmetro, para suportarem tal abertura física.”

Quando temos uma lente zoom percebemos que há dois tipos de aberturas nelas. As fixas e as variáveis. Um exemplo de uma lente zoom com abertura fixa é a 70-200mm f1:4, onde ela possui a abertura f4 em todos os seus Comprimentos Focais, desde 70mm até 200mm. Um exemplo de uma lente zoom com abertura variável é a 18-55mm f1:3.5-5.6. Preste atenção nesta nomenclatura varíável. Ela nos diz que a lente, em sua maior angulação (18mm) possui abertura (f3.5), já em sua menor angulação (55mm) ela possui abertura (f5.6). Então vamos para a matemática dessas duas lentes!

70-200mm f1:4 – Isto nos diz que ela possui uma abertura física de 70/4 = 17,5mm (em 70mm) e de acordo com que você aumenta sua distância focal para 200mm ela passa a ter uma abertura física de 200/4=50mm. Veja que a abertura física que permite a passagem da luz se modifica ao passo que a Abertura do diafragma continua a mesma, em f4.

18-55mm f1:3.5-5.6 – Estes dados nos dizem que esta lente possui sua abertura do diafragma máxima em 18mm de f3.5 e que sua abertura física para isto seria de 18/3.5 = 5.1mm. E ao passo em que você aumenta sua distância focal para 55mm ela passa a ter sua abertura de diafragma máxima em 5.6 e sua abertura física máxima de 55/5.6 = 9.8mm. É possível ver nitidamente, quando você altera o zoom dessa lente, sua abertura física se modificando no interior da lente.

Lembre-se que a abertura física não é a Abertura do diafragma, mas que é ela quem diz qual a possibilidade daquela lente de captar mais ou menos luz de acordo com a abertura do diafragma disponível.

Para finalizar, vamos nos lembrar das menores aberturas também que há nas lentes e que dependendo da situação é importante saber qual possibilitará uma menor abertura do diafragma possível.

Por exemplo, uma lente 100mm que tem sua abertura de diafragma minima em f22 quer dizer que a abertura física mínima seria de 100/22 = 4,5mm. Algumas lentes possuem aberturas minimas de diafragma maiores, menores e variáveis, como na 18-55mm. Ela possui, em sua distância focal de 18mm, a menor abertura de diafragma em f22. Isso quer dizer que: 18/22 = 0.8mm seria sua abertura física mínima em 18mm. Já em 55mm ela possui sua abertura de diafragma mínima em f36, o que quer dizer que: 55/36 = 1.5mm é sua abertura mínima em 55mm.

E é justamente por causa de todos estes dados que há as limitações nas construções das lentes, Porque não abre mais? Porque não fecha mais? Porque é tão grande? Porque preciso de flash? Tudo está interligado e é somente conhecendo tudo isso que se chega a soluções concretas, improvisadas e inovadoras na fotografia.

Chega! Tá bom de matemática até aqui não é mesmo? Vamos responder algumas perguntas para entender melhor do que falamos até agora.

Perguntas

Dizem que lentes luminosas são melhores. Mas o que é uma lente luminosa?

Diz-se lentes luminosas as lentes que tem a possibilidade de receber mais luz, ou seja, com aberturas de diafragmas maiores como f2.8. f1.8, f1.2 e até f0.95. Mas isto não quer dizer que elas são melhores e sim mais luminosas, porém, há várias situações em que você trabalhará com aberturas em f9, f11, f16 e até superiores. O que define a qualidade de uma lente é a qualidade de seus elementos óticos, a construção de seu corpo e sua tecnologia, como mecanismos de estabilização de imagem, motor de auto-foco, travamentos, etc.

Se eu quiser fazer fotos à noite eu tenho que ter uma lente muito luminosa?

Olha, de preferência, sim. Mas não somente a abertura que controla a exposição de uma imagem. Há também a velocidade e o ISO e em muitas situações somente ter a lente com aberturas grandes com f2.8 não vai adiantar muito, pois ela causa muito desfoque antes e depois do motivo a ser fotografado e no caso de um casamento, por exemplo, às vezes é necessário ter todos bem focalizados na cena, o que te leva a usar aberturas menores como f5.6, f8, etc. Daí restam os outros ajustes no ISO e na velocidade, bem como o uso de flashes e/ou luzes auxiliares.

Porque as lentes Teles não tem aberturas maiores e são pouco luminosas?

Vamos fazer as contas. Uma lente 600mm seria show de bola com uma abertura em f1.4 não é mesmo? Mas… 600/1.4 = 428,5mm de diâmetro, e 428,5mm = 42,8cm, ou seja, seria quase meio metro de vidro no elemento frontal. Agora eu é que pergunto: Onde é que se carrega um trambolho desses? E quanto isso iria custar? Uma 600mm f4 já tá passando de bom! rsrsrsr. (600/4 = 150mm de diâmetro).

Até a próxima e caso ainda haja dúvidas envie-as para que eu possa acrescentar no blog!

21 comentários sobre “1 – Abertura

  1. Me surgiu uma dúvida: se a abertura mínima de uma lente 50mm é f1.8, portanto, 27,77mm de diametro, pq a representação grafica é f1.8? 1.8 é uma medida também? Desculpa a pergunta, mas gostaria de saber. Grata!

    • Oi Lau!

      Sem problema, sempre que precisar, pergunte mesmo!

      Veja, existem lentes de 50mm com várias aberturas diferentes. Ex: a 50mm f1.8, a 50mm f1.4, a 50mm f1.2, a 50mm f0.95, etc. Este número “f” diz respeito a quantidade de luz que essa lente consegue congruir e deixar atingir o sensor… é a “claridade” da lente.

      O lance é que essa abertura gera, matematicamente, uma necessidade “física” na lente, a ótica dos elementos que serão responsáveis por levar a luz até o sensor. Daí, tem-se um número em “mm” também, mas que é diferente dos “mm” da angulação (50mm), pois trata-se do diâmetro máximo do elemento frontal.

      Na 50mm é mais complicado perceber isso porque ela aceita muitas diferenças de “f” com possibilidades físicas. Mas pense em uma tele, a de 300mm f2.8 por exemplo, que já tem seu elemento frontal enorme, por ser f2.8 (muito luminosa, abertura grande e que carece de um elemento maior pra transportar essa luz até o sensor)… agora imagine essa mesma lente sendo f1.2!

      Como vimos, matematicamente seria: 300mm / 1.2 = 250mm

      Consegue imaginar uma lente com o elemento frontal tão grande assim? Tá, dá pra imaginar ela existindo… mas consegue imaginar você segurando ela? Provavelmente não né rsrsrsrs. Seria extremamente pesada, absurdamente cara e necessitaria de um suporte muito resistente que inviabilizaria sua utilização, tratando-se de uma lente de 300mm, facilmente utilizadas em esportes, natureza e em fotojornalismo.

      Então, uma coisa é a lente ter uma claridade x, que é medida em “f” pra dizer o quão luminosa ela é. Outra é ela ter um tamanho frontal x para poder utilizar filtros, por exemplo, que trata-se de uma medida física mesmo.

      Entendeu?

      Se houver alguma dúvida, pergunte novamente sempre que precisar.

      Obrigado pela sua participação e visita! 😀

  2. Beleza, estou com uma duvida. Estou fazendo uma cabine fotografica e gostaria que o fundo tivesse 2 metros de largura, com a lente no zoom 18mm, qual deveria ser a altura e distancia da maquina deste fundo?

    • Olá Daniel, tudo blz sim!

      Bom, certamente há uma fórmula e uma matemática para se calcular exatamente esta medida, mas quer ter certeza mesmo do tamanho que deseja pra esse fundo sem ter que arriscar absolutamente nada? É simples:

      1 – Meça o tamanho do fundo que deseja numa parede, como se ela fosse o fundo.

      2 – Coloque o zoom da lente em 18mm.

      3 – Ajuste sua posição em relação à parede até que a câmera enquadre com perfeição o tamanho do fundo marcado na parede e pimba! Coloque a câmera num tripé e é só medir essa distância com uma fita métrica.

      Do contrário teremos que ir para os cálculos levando em consideração o ângulo da lente, tamanho do fundo e tals… e te confesso que não tenho a menor ideia, neste exato momento, de como fazer essa conta rsrsrsrsrs.

      Espero ter ajudado 😉

  3. Boa noite! Não entendi o cálculo de diametro. Tenho uma objetiva 24˜120 1:4 logo o diametro de sua primeira lente seria de 85,71mm mas na verdade tem 77mm? Pode me explicar melhor?

    • Olá José!

      Bom, não sou especialista nesta área, porém, pelo conhecimento que eu tenho na fotografia e de colegas dentistas que se utilizam da fotografia eu pude perceber dois tipos de fotografia geralmente mais utilizados por eles.

      Em uma dessas formas costuma-se fazer mais fotos da boca como um todo, da arcada, do sorriso. O sorriso se completa ao mostrar o rosto ou parte dele na foto, por questões estéticas mesmo, então, neste caso acho que te daria muito trabalho utilizar uma lente 105 macro numa câmera com sensor cropado, pois precisaria de muito espaço pra registrar o rosto da pessoa.

      A outra forma que vejo eles utilizarem (em menor escala) é a foto de peças, dentes específicos, problemas internos na boca, daí faz-se necessário a utilização de uma lente macro sim e a 105 com a sua câmera cropada seria excelente pra conseguir enquadrar dentro da boca do seu cliente.

      Não sei qual seria o seu caso e como se aproveitaria da fotografia na sua profissão, pois dependendo do caso até mesmo a 18-55mm da Nikon (que se não estiver enganado já é macro) já pode ser uma boa opção.

      Detalhe: a 18-105mm, se não me engano, não é macro… confirme, se não for vai precisar de uma distância considerável para enquadrar, ou seja, vai ter zoom, mas não vai conseguir isolar motivos pequenos como um dente quebrado dentro da boca, por exemplo.

      Espero ter ajudado e muito obrigado pela sua participação! Qualquer outra dúvida, só entrar em contato. Vlw! 😀

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s