2 – Velocidade

Agora vamos falar sobre a Velocidade do disparo!

Velocidade

A Velocidade do disparo também é responsável pela quantidade de luz que inside no sensor, mas diferentemente da Abertura do diafragma, que está na lente, esta se encontra na câmera e trabalha como se fossem as cortinas de um teatro. É através do tempo de exposição que ela controla a luz que inside no sensor.

Portanto, quanto mais rapido for o disparo, ou seja, quanto mais rapido as cortinas se abrem e se fecham, menos luz atinge o sensor e quanto mais lento é o disparo, maior é o tempo em que o sensor fica exposto à luz.

Além de controlar a exposição para uma imagem bem iluminada a velocidade é responsável também por outras características preocupantes na fotografia, como os rastros de luz, os tremidos e os congelamentos. Estas características, se bem utilizadas, podem criar imagens magníficas, prazeirosas, impactantes, velozes, artísticas, etc, como também podem destruir toda a sua imagem. Nada pode ser considerado um erro se não soubermos a intenção da foto e isso somente o autor o sabe e pode explicar.

Geralmente todas as câmeras possuem sua menor velocidade de disparo em 30s (30 segundos) e além deste tempo é denominado o modo Bulb, onde você pode manter pressionado o botão disparador por horas! Há também um limite de velocidade de disparo e este vai depender da câmera. Geralmente este tempo mínimo fica entre 1/4000s e 1/8000s dependendo da câmera.

Quando fotografamos com velocidades muito baixas (1/20s ou menos), mesmo estando parados, segurando a câmera com firmeza, é comum a imagem não ficar tão nítida, pois qualquer movimento provoca pequenos tremidos na imagem. Para possibilitar fotografias com velocidades muito baixas é extremamente importante o uso de um bom tripé, pois é ele que fará com que a câmera permaneça realmente imóvel e não provoque tremidos ou rastros na imagem.

Quando fotografamos com velocidades muito altas (1/500 ou mais) é comum congelarmos a cena, ou seja, um esguicho d’água é registrado com as gotas paradas, um pneu de um carro em movimento aparece como se o carro estivesse parado. Aqui não há chance para rastros ou tremidos, porém, a imagem fica muito estática e dependendo do propósito da imagem isso pode ser ruim.

Há várias técnicas que brincam com este valor em particular de modo a provocar efeitos realmente interessantes nas imagens, como o Panning, Light Painting, Congelamento e o Time Lapse. Todos eles apenas controlando o melhor tempo de exposição para determinado tipo de cena ou ação a ser fotografada.

Outra característica interessante sobre a Velocidade de disparo é sua sincronização com o Flash da câmera. Hoje em dia esta sincronização está entre 1/200s e 1/250s, embora possa-se utilizar com um maior tempo de exposição (controlado pela câmera) ou até com tempos menores, como 1/800, 1/1600, mas já são características dos flashes realizarem ou não este sincronismo, bem como dos disparadores remotos se estiverem sendo utilizados. Mais adiante abordaremos melhor estas possibilidades.

Na próxima página veremos sobre o ISO. Lembrando que se houver alguma dúvida você pode enviá-la para que eu possa respondê-la no Blog. Até mais!

PS: Estou devendo as fotos, mas em Abril mesmo eu coloco todas aqui para exemplificar as informações.

2 comentários sobre “2 – Velocidade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s