Jogando chá quente em -40ºC

Em temperaturas suficientemente frias, água quente espirrada ao ar torna-se instantaneamente em gelo. Isto é o que foi capturado nesta linda foto pelo fotógrafo Michael Davies – ela mostra seu amigo Markus Siivola jogando chá quente de uma garrafa térmica em um ar de -40ºC.

Devies mora em Pangnirtung, no Alto Ártico do Canadá, onde ele tem fotografado como fotógrafo profissional por 10 anos. A temperatura fica entre -25ºC e -30ºC.

Um ótimo planejamento foi feito para esta foto. “Entre o nascer do sol e o pôr do sol nós temos apenas 2,5hs (duas horas e meia) de luz,” Devies diz ao PetaPixel, e nem toda a luz neste período é ideal para fotos.

À 1pm (uma hora da tarde), ontem à tarde, Devies pegou um snowmobile e rodou 45 minutos até o topo de uma montanha próxima com Siivola. É “onde a luz, a qual é quase sempre rosa perto do solstício, bateria nas montanhas,” diz o fotógrafo.

Eles tinham muitas garrafas térmicas com chá, e começaram a jogar e fotografar. Davies ficou de olho na temperatura, esperou por um vento calmo, e cuidadosamente programou as configurações para a foto. Para pelo menos duas das fotos, ele fez com que o sol fosse capturado no centro do spray de chá.

 

Comentário do Blog:

É super interessante o compartilhamento dessas informações para que possamos perceber a importância da preparação para se fazer uma foto. Tudo foi pensado, elaborado e esquematizado pra que estas fotos fossem feitas.

Aparentemente, em termos de nível de dificuldade para se realizar uma foto como esta, em termos de configurações de câmera, é relativamente simples. Mas então, o que torna essa foto tão linda assim? É aí que se começa a aprender fotografia, pois fotografia não é só clicar né gente. Então, vamos ver essa foto em detalhes para “tentar” entender como foi feita a preparação para que ela fosse feita? Vou enumerar o que eu pude perceber e caso você, leitor, tenha enxergado algo mais, comente, contribua.

1 – Oportunidade

O fotógrafo reside em um lugar onde a temperatura, geralmente, fica entre -25ºC e -35ºC (e a gente reclamando do tempo aqui né rsrsrsrs). Ele soube aproveitar o que o lugar e o clima ofereciam pra ele.

2 – Planejamento

Sabendo que o sol, neste lugar, aparece por somente duas horas e meia e que deste período de luz somente alguns momentos seriam ideais para se fotografar, ele se programou para tal e esperou o momento certo para fazer a foto.

3 – Ajuda

Fazer algo sozinho e bem feito geralmente é muito difícil e ele não exitou em chamar um amigo para o ajudar a fazer esta foto. Uma das grandes dificuldades que encontramos aqui, no Brasil, que tenho percebido, é a falta de ajuda na hora de fazer as fotos, pois rola uma competição doentia e um egoísmo enorme na hora de produzir uma imagem. Quem tem a perder? Todos! Pois acaba não saindo nada tão interessante e a criatividade passa a ser cada vez mais limitada.

4 – Criatividade e conhecimento

Quanto mais conhecimento se tem, mais sua criatividade terá asas para voar. Neste caso, o exemplo é claro, se tratando de um conhecimento de física, onde a água (ou chá neste caso), em estado líquido, ao atingir uma temperatura menor que 0ºC se congela. A ideia, então, foi fotografar justamente essa transformação, jogando água quente (estado líquido) em um clima com ar medindo seus -40ºC. Como a água foi esguichada, espirrada da garrafa, ela se dividiu em pequenas porções onde a troca de temperatura foi muito rápida, tornando se gelo (estado sólido) instantaneamente após ser arremessada devido a tão baixa temperatura de -40ºC.

Agora é só sentir toda essa inspiração, olhar ao seu redor e perceber o que o clima e o lugar te proporcionam e deixar os neurônios trabalharem com todo o conhecimento que você tem adquirido durante toda sua vida.

Boas fotos! 😀

 

Tradução livre: por Reges Pineze

Fonte: Here’s a Photo of Tea Being Tossed in -40°C Weather

Anúncios

Ballantine’s e artista criam, no Rio, maior GIF do mundo!

size_810_16_9_arte-ballantines Artista cria, no Rio, o maior gif animado do mundo! Fotografado por satélite a pintura gigante cria vida. Algumas coisas interessantes de se notar neste tipo de trabalho são: 1 – Nem sempre o ângulo que você vê as coisas é o que pode ser fotografado. Ao exercitar seu olhar, pode construir novas maneiras de se fotografar algo, mesmo que nem você mesmo consiga ver a cena ou até mesmo fotografá-la, necessitando da ajuda de pessoas ou outros recursos. 2 – Na fotografia a câmera costuma fazer apenas uma coisa, que é registrar o que está na frente dela. Saber utilizar o equipamento é importante sim, mas você fotografa é o mundo, e o mundo você prepara para ser fotografado com suas próprias mãos. A câmera não fará isso pra você! Então, mão na massa na hora de construir sua fotografia, porque isso sim é fotografar! Se curtiu, compartilha! Se não curtiu, compartilha também! Não custa nada e você ajuda o blog a crescer! 😀

Rafael Sobral construindo sua criatividade com LEGO

rafaelsobral_-_michael_jackson2Clique na foto para ir ao link da notícia

Às vezes me posiciono duramente quanto a questões sobre criatividade na arte de modo geral, mas principalmente na fotografia. Criatividade é um processo, não é uma técnica! Até porque se algo se transformou em técnica deixou de ser criativo, agora é algo já criado, cristalizado, estático, mas que pode servir como ferramenta para a criatividade, o que não quer dizer que seja a criatividade em si. O emprego do termo “CRIATIVO” então para fins de vendas de livros, e-books, cursos online e o escambau a quatro não passa de pura enganação em essência, pois nenhuma luz é criativa, mas quem controla a luz. Nenhuma fotografia é criativa, mas quem faz a foto.

Pode parecer bobeira da minha parte? Sim, pode… mas se você não dá importância a isso e prefere ser conduzido de forma a continuar sendo gado, não exercitando sua real CRIATIVIDADE em sua vida, na sua arte, ai também já é problema seu né. O fato é que CRIATIVIDADE se trata de um processo, o processo criativo, e este está dentro de você mesmo. Não há quem o possa manipula-lo, molda-lo, exercitá-lo, se não você mesmo. Trabalhar a criatividade em alguém trata-se de um processo de “coaching”, de acompanhamento, como em um curso… e além de demorado pode não trazer resultado nenhum, pois o processo criativo vem de você e se você não se empenhar para exercitar sua criatividade nada acontecerá. Não se trata de técnicas ou textos vendidos ou distribuídos afim de trazer informações, conhecimentos, técnicas… mas trata-se do que fazer com tudo isso! E isso ninguém tá afim de ensinar, pois se vocês se tornarem criativos demais exercerão uma pressão ao “status quo” do mercado da fotografia o qual se encontra, infelizmente.

O trabalho de Rafael Sobral, no entanto, é a expressão de um processo criativo fantástico! Tenho certeza que ele também se inspirou a utilizar o LEGO na fotografia vendo alguma foto, ou várias, provavelmente dos EUA, e arrisco a dizer até que foram com bonecos de LEGO da série Star Wars, pois que eu tenha conhecimento foram uns dos primeiros trabalhos realizados com LEGO na fotografia. Mas isso é inspiração, somente. Recriar fotografias de cenas clássicas então foi outra inspiração, sim, mas somente inspiração. O que o Rafael fez foi trazer a inspiração para sua realidade, utilizando das técnicas disponíveis, improvisando, solucionando problemas, exercendo sua criatividade para tentar reproduzir imagens com seus bonecos.

Não importa a técnica, se foto ficou boa ou ruim, embora eu tenha gostado muito, mas trata-se de estilo, expressão de criatividade vinda de alguém que se dispôs a pensar, sentir, se mexer pra fazer acontecer, e o resultado está em suas fotografias que por sinal são muito interessantes de se ver e indico conhecerem o trabalho dele.

Parabéns Rafael pela sua CRIATIVIDADE!!! 🙂

Rafael Sobral: www.rafaelsobral.com.br

TUTORIAL RING LIGHT

Um tutorial muito bom feito por EDILSON BORGES para você construir seu próprio Ring Light em casa. Com criatividade, objetos de fácil acesso e um pouco de habilidade e cuidado, você pode fazer o seu em sua própria casa! Confiram o tuto logo abaixo.

 

Tutorial Ring Light por Edilson Borges:

Olá, pessoal!

Fiquei um bom tempo projetando e vendo quando iria começar a tocar esse projeto, que é o Fotografia Criativa.
Estava querendo algo bem elaborado, conteúdo de qualidade para nossos leitores. Bom, cá estou eu!

Nosso post piloto será sobre uma experiência que eu e meu pai fizemos ontem, o ring light ou anel de luz.

O conceito é basicamente uma fonte de luz em formato circular, onde a câmera é posicionada no centro deste circulo assim como o assunto.
Geralmente utilizado em close ups nos rostos de pessoas, seja para foto como para vídeo, o ring light proporciona um interessante efeito, em especial no olho do assunto.

Antes de mais nada é bom lembrar vamos mexer com: energia, objetos cortantes e objetos que queimam, então todo cuidado é pouco! Não nos responsabilizamos por possíveis acidentes. Grato a compreensão.

Bom, vamos para a prática!

Inicialmente vou listar os materiais que utilizamos para contruí-lo:
– Lâmpada circular fluorecente (usamos da marca Osram, 32 watts)
– Reator para lâmpada fluorecente (marca Ez-tronic 40 watts para 1 lâmpada)
– Cano de 50mm ~ 60mm com aproximadamente 40cm de comprimento (recomendo o de 60mm, vide item 2, tópico 3)
– Ferramentas como: cegueta, martelo, fita isolante, ferro de solda, caneta, lâmpada incandescente forte (luminária de 100 watts se não em engano).
– Base de um tripé de luminária
– Cabo de energia (fio de aproximadamente 2 metros)
– Tomada
– Tiras de borracha

Agora que conhecemos os materiais utilizados, vamos mostrar como foi feito passo-a-passo:

1 – Preparar o cano para receber a lâmpada.
Neste passo inicial, devemos marcar uma das extremidades para que ela seja o nosso suporte para a lâmpada.

IMG_20131118_212357

– Trace uma reta entre o diâmetro do cano com um marcador.
– Após isto trace outra reta descendo no cano até dar o tamanho da lâmpada (faça isso dos dois lados).
– Marque agora um traço perpendicular ao fim da reta que você marcou até um pouco mais da grossura da lâmpada (também nos dois lados)
– Com a se gueta serre os traços marcados (até agora só verticalmente).
– Ainda com a cegueta serre o traço horizontal que será o encaixe da nossa lâmpada.

Agora temos que entortar a parte que foi serrada para encaixar a lâmpada, para isso nós utilizamos uma luminária bem forte.
– Esquentar o cano (pode ser usado fogo também) para poder modelar.

IMG_20131118_212313
– Com a ajuda de um martelo e uma cegueta fomos modelando até ficar do jeito que queríamos.

IMG_20131118_212538
– Lave com água fria para o molde fixar.

IMG_20131118_212602
– Faça um furo bem no centro do cano para passar o fio, que será nossa fonte de energia.

Pronto, terminamos essa parte!

IMG_20131118_212647

2 – Preparar a lâmpada para receber energia.
Neste passo é necessário que o cano já esteja pronto, pois vamos passar os fios por dentro do cano e soldar à lâmpada.
Peque o reator e você verá aquele tanto de fio, se você comprou o reator para uma lâmpada, terá 7 fios: 2 vermelhos, 2 azuis, 1 branco, 1 marrom e 1 preto.
Os fios azuis e vermelhos são ligados na lâmpada e os fios branco, marrom e preto são destinados a tomada.

IMG_20131118_212837

– Seguindo as instruções do fabricante, isole o fio desnecessário. Como aqui em Goiânia é 220v, isolamos o fio branco, o preto ficou sendo o neutro e o marrom a fase (não tem problema ligar invertido).

IMG_20131118_212919
– Usando um multi teste, no modo de curto-circuito, veja a pinagem da lâmpada para já soldarmos os fios vermelhos e azuis. A dica é: os pinos que fecharem curto irão receber os fios de mesma cor. Geralmente há um padrão para isso, se você pegar a lâmpada conforme os pinos fiquem apontados para você os dois da esquerda vão os fios azuis e os dois da direitas os fios vermelhos (aqui foi assim, provavelmente aí também será).

– Antes de soldarmos os fios, passe eles e o reator por dentro do cano conforme fosse já encaixar a lâmpada. Nesse processo tivemos que retirar a tampa traseira do reator, caso não queira tirar a tampa do reator, escolha um cano mais largo (60mm).

– Passe também o cabo de energia dentro do buraco que foi feito para que ele também seja soldado.

– Solde os fios, cabos azuis nos pinos da esquerda, cabos vermelhos nos pinos da direita (um em cada pino), não esqueça de isolá-lo com fita isolante separadamente.

IMG_20131118_212747

Lá do outro lado do cano solde o cabo de energia aos fios do reator, preto e marrom (no meu caso 220v), isole-os também e se caso você optou por retirar a tampa traseira do reator não passe fita envolta do circuito, isso acumula umidade. Não há problema sobre que eles são ligados.

IMG_20131118_212800

– Na extremidade do cabo de força solde/encaixe uma tomada para poder ligá-la.

IMG_20131118_220945
– Ligue essa geringonça, para assegurar que tudo está funcionando até o momento, antes de encaixarmos.

3 – Encaixe da lâmpada.
Assumindo que todos os cabos estão devidamente soldados, Para esse processo vamos utilizar bastante fita isolante, vamos aos passos:
– Coloque o reator no cano, puxando os fios vermelhos e azuis e o cabo de força até que ele esteja bem encaixado.

IMG_20131118_221212
– Passe uma fita isolante no cabo de força, situado no meio do cano para firmar o reator.
– Encaixa a lâmpada na parte superior do cano e passe bastante fita em volta.

IMG_20131118_215830

– Está quase pronto!

IMG_20131118_221336

4 – Fixando o anel de luz à uma base.
Nesse processo o ideal é que você tenha disponibilidade de um tipé, e que este varie a altura, para que na utilização seja mais fácil o manuseio.
– Utilizando uma base de um tripé de luminária e tiras de borracha, foi fixado o cano em paralelo à estrutura do tripé.

– Passe fita isolante em volta do tripé junto ao cano até que esteja forma.

– Pronto! Você agora tem um anel de luz!

IMG_20131118_223056

A seguir alguns resultados com ele:

IMG_20131118_223616

IMG_20131118_224304

IMG_20131118_221428

Ring Light

É isso aí, pessoal! Espero que tenham gostado, caso tenham alguma dúvida, crítica, elogios ou sugestões deixem nos comentários.

Posteriormente farei um vídeo sobre esse processo, então fiquem ligados:

Canal do youtube: FotografiaCriativa

Página do facebook:  Canal Fotografia Criativa

Abraços!!

Fotografias clássicas recriadas com LEGO

LEGO

Esse é aquele tipo de foto que você pensa: poxa, porque que é que eu não pensei nisso antes! Pois é, mas já há algum tempo que existem comunidades no flickr e provavelmente em outros sites relacionados a fotografia que fazem fotos somente com LEGO e não é recente não. Confiram as fotos e os links para as comunidades do flickr, mas não deixem de procurar em outros lugares!

Flickr links:

http://www.flickr.com/groups/legodesign/

http://www.flickr.com/groups/legooutdoors/

http://www.flickr.com/groups/1830914@N24/

Classic photographs recreated in Lego: Digital Photography Review.

Resumo Fotográfico – Adaptando um smartphone ao visor de uma câmera SLR

As gambiarras podem até não serem muito aceitas no mundo profissional… porém, são divertidas, criativas e surpreendentes. Confiram mais uma para aproveitar melhor o seu celular e aquela velha câmera que não precisa mais ficar encostada.

Fixando um celular em uma SLR

Resumo Fotográfico – Adaptando um smartphone ao visor de uma câmera SLR.

Sir Ken Robinson: Tragam a revolução no aprendizado! | Video on TED.com

 

Sobre Criatividade

Não é sobre fotografia propriamente dita, mas é sobre criatividade. A verdadeira criatividade. Algo de fundamental importância para qualquer tipo de arte ou trabalho, inclusive a fotografia. Traduzam o sentido, ache neste vídeo a importância do mesmo para a fotografia e verão sentido nessa postagem.

Sir Ken Robinson: Tragam a revolução no aprendizado! | Video on TED.com.